Studio Fiscal
  • Empresa

Studio Fiscal

São Paulo (SP)
1,383seguidores676seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Soluções Tributárias em Esfera Administrativa
Diante do know-how de mais de 18 anos, a Studio Fiscal (1ª empresa do Grupo Studio) é pioneira no setor de franquias no ramo de consultoria empresarial. Através de metodologia própria para a realização dos serviços de auditoria fiscal e consultoria tributária, já realizou mais de 2.500 trabalhos com êxito em 99,9% dos casos. São mais de 150 escritórios posicionados estrategicamente em todo o território brasileiro. Visite o site: www.franquiastudiofiscal.com.br

Verificações

Studio Fiscal
Studio Fiscal

Autor (Desde Mar 2014)

Comentarista (Desde Mar 2014)

Comentários

(22)
Studio Fiscal
Studio Fiscal
Comentário · há 10 meses
Boa tarde, Luiz

De acordo com o art.
148 do Decreto 3.000/99 (RIR/99), as sociedades em conta de participação são equiparadas às pessoas jurídicas (Decreto-Lei nº 2.303, de 21 de novembro de 1986, art. , e Decreto-Lei nº 2.308, de 19 de dezembro de 1986, art. ).

Portanto, as SCPs são equiparadas às pessoas jurídicas e, como tal, ficam obrigadas a inscreverem-se no CNPJ, conforme previsto na IN RFB 1.470/2014.

Att. Equipe Studio Fiscal
Studio Fiscal
Studio Fiscal
Comentário · há 10 meses
Bom Dia, Dr. Lucas

Não se trata de entendimento. A legislação prevê a atualização monetária dos valores pagos indevidamente ou a maior. (Art.
39 da Lei nº 9.250/95).

No art. 894 do Decreto 3.000/99 (RIR/99) que, na verdade, consolida a legislação, prevê:

“Art. 894. O valor a ser utilizado na compensação ou restituição será acrescido de juros obtidos pela aplicação da taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia - SELIC, para títulos federais, acumulada mensalmente (Lei nº 9.250, de 1995, art. 39, § 4º, e Lei nº 9.532, de 1997, art. 73):

No “Ajuda” do Preenchimento do PERDCOMP da Receita Federal, temos:

Selic Acumulada: este campo será preenchido automaticamente pelo programa com o valor, em porcentagem, dos juros compensatórios incidentes sobre o crédito utilizado no Documento de Compensação, calculados na forma prevista nos atos normativos da SRF/RFB.

Exemplo da RFB:

Exemplo: Imagine-se que o contribuinte esteja transmitindo em 10 de agosto de 2013 uma Declaração de Compensação cujo crédito seja referente a um pagamento indevido de Cofins efetuado em 15 de março de 2013. Nesse caso, o valor a ser preenchido no campo “Selic Acumulada” será 3,54, assim calculado:

Selic de abril/2013 = 0,61% (A)
Selic de maio/2013 = 0,60% (B)
Selic de junho/2013 = 0,61% (C)
Selic de julho/2013 = 0,72% (D)
Juros de agosto/2013 (juros do mês da compensação) = 1% (E)
Selic Acumulada = 3,54% (A+B+C+D+E)

Att.

Perfis que segue

(676)
Carregando

Seguidores

(1,383)
Carregando

Tópicos de interesse

(8)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

ANÚNCIO PATROCINADO

Outros perfis como Studio Fiscal

Carregando

Studio Fiscal

Avenida Nove de Julho, 4400 - São Paulo (SP) - 01406-100

(11) 3624-11...Ver telefone

Entrar em contato