jusbrasil.com.br
23 de Agosto de 2019
    Adicione tópicos

    Entenda a importância do setor de compliance para advogados

    Studio Fiscal, Contador
    Publicado por Studio Fiscal
    ano passado

    No contexto atual da sociedade brasileira, temos presenciado um alastramento de denúncias de corrupção envolvendo empresas (públicas e privadas) e políticos de alto calibre. Devido a esse fato, mais do que nunca, as corporações começaram a dedicar especial atenção a prevenções de fraudes internas. O setor de compliance, extremamente relevante, adquiriu ainda maior centralidade nesse cenário.

    Em geral, essa solução era implementada apenas em grandes empresas ou organizações transnacionais. O setor, então, funcionava como uma espécie de apêndice jurídico: a equipe responsável investigava tudo o que pudesse comprometer a empresa.

    Ao longo deste artigo, abordamos o funcionamento do setor de compliance e sua utilidade para advogados. Boa leitura!

    O setor de compliance e a sua funcionalidade

    O termo compliance, oriundo da língua inglesa, tem sido traduzido por “conformidade”. Muito comum em diferentes ambientes empresariais, o conceito define uma série de práticas e normas corporativas, com vistas a garantir que a atuação das empresas se adequem a determinados padrões éticos e, também, se enquadrem nas leis pertinentes a cada segmento de atuação.

    O trabalho realizado pelo setor é voltado, primeiramente, para a identificação de possíveis desvios de conduta ou, ainda, de atos ilegais perpetrados junto a organização. Após essa etapa, efetuam-se os devidos ajustes.

    Contudo, além das tarefas de fiscalização e da promoção de medidas corretivas, o setor de compliance pode se encarregar de regulamentar todas as operações, processos e atividades empresariais.

    A importância do setor de compliance para os advogados

    Uma organização ou escritório de advocacia é composto por pessoas que tem, como atividade principal, a função de lidar com questões legais, o que, por si só, é um indicativo do quanto é ainda mais importante, especificamente para essa área, estar sempre em concordância com a legislação e com os princípios de boas práticas empresariais.

    Sendo assim, e imprescindível para os advogados, em virtude da natureza intrínseca à sua profissão, agirem sob a égide de um código de ética rígido e impecável, incorporando esse elemento a um sólido programa de compliance.

    Além de servir para a construção de uma cultura organizacional mais forte, consistente e, sobretudo, coerente, isso beneficia enormemente os negócios do advogado. Afinal, até mesmo para profissionais “autônomos”, ser considerado ético e respeitar as leis, porque é o correto e não por obrigação, é uma forma de se contribuir para uma sociedade mais justa e, concomitantemente, aperfeiçoar a imagem junto ao público em geral e à sua base de clientes em particular.

    Os impactos positivos para a imagem do advogado não devem ser negligenciados, pois demonstrar-se incorruptível, ético, idôneo e íntegro é algo que tem um enorme valor para os clientes. Um advogado que realiza o compliance demonstra muito mais confiança e credibilidade, o que resulta em novas oportunidades de negócio.

    O setor de compliance como instrumento ético na advocacia

    O setor de compliance pode e deve funcionar como um dos instrumentos éticos na advocacia. Tendo em conta de que os advogados são encarregados de aspectos delicados da vida particular ou profissional de quem é por eles representado, nada mais justo do que assegurar e transmitir o fato de que sua atuação se dá em absoluta conformidade com a legislação vigente e os mais altos valores éticos.

    Gostou do artigo? Deixe com comentário!

    Matéria via Studio Fiscal.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)